VERDADEIRAMENTE JESUS NASCEU! (#IRBMaceio)

por Pastor Flávio Silva

Com o passar dos anos, a história do Natal tem se tornado bastante nebulosa. De um lado temos a história de um bebê nascido de uma virgem que é o salvador do mundo. Do outro lado, temos Papai Noel com suas renas voando pelo céu, ansioso para dar presentes a todos os bons meninos do mundo. Muitas crianças iniciam seus anos acreditando em Papai Noel, mas à medida que vão crescendo, tudo soa como uma grande fantasia. Mas, com a história do menino Jesus nascido de uma virgem e que foi deitado numa manjedoura, não tem sido diferente. Para muitos tudo é uma história de faz de conta.
Como separar o fato real da ficção? Por um lado, Papai Noel em um trenó rasgando os céus. Por outro lado, uma virgem dando à luz ao Filho de Deus, o Salvador do Seu povo. Como podemos ter certeza de que a história do Papai Noel é um conto de fadas, e o nascimento de Jesus Cristo é um fato verídico? Como podemos ter certeza de que o que a Bíblia diz é verdade?
Uma coisa é certa: Satanás gosta de brincar com a mente dos homens. Ele gosta de confundir as pessoas. Na páscoa ele introduziu o coelho, mamífero que põe ovos de chocolate. Sobre o natal, muitos se perguntam: Será que isso realmente aconteceu? Há momentos em que os mistérios do nascimento, morte e ressurreição do Filho de Deus parecem tão certos e incontestáveis. Mas em outros, a alma fica inquieta. Será que o Filho de Deus, Jesus, realmente veio à Terra? Ele realmente morreu em uma cruz? Os meus pecados são perdoado por Seu sangue?
Em seu evangelho, Lucas dedica se relato a Teófilo. Teófilo, um homem cujo nome significa “Amado de Deus”, ouviu falar de Jesus de Nazaré e creu nele. Mas ele precisava de uma base mais profunda da verdade, um fundamento mais sólido dos acontecimentos referentes à vida de Jesus. Ele precisava separar o fato real da ficção. E assim Lucas escreveu seu evangelho. E ele escreveu, como ele diz no versículo 4, “para que tenhas plena certeza das verdades em que foste instruído.” (Lucas 1:4) Ele, Lucas, tanto investigou e escreveu o evangelho com cuidado e que nos leva a acreditar que “as coisas que lemos na Bíblia foram exatamente daquele modo”!
Deus quer que saibamos e creiamos que a Bíblia é confiável. E de todas as coisas que Deus nos revelou, a que mais chama nossa atenção é que Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Precisamos crer, precisamos saber como tudo aconteceu. Compreender como Jesus nasceu, o que Ele fez, como Ele morreu e ressuscitou. Deus sabe o quanto é importante nós sabermos disso e acreditar no que realmente aconteceu, por isso Ele nos deu não um, não dois, mas quatro relatos do Evangelho. Quatro registros distintos da vida de Cristo na terra: Mateus, Marcos, Lucas e João. Cada um, escrito sob a inspiração do Espírito Santo. Cada uma das narrativas digna de confiança. Mas também cada um de formas ligeiramente diferentes para fins distintos.
Lucas era um médico que passou vários anos viajando com o apóstolo Paulo. O próprio Lucas não tinha viajado e vivido com Jesus, ele se tornou um cristão depois do evento de Pentecostes. E desde o início ele ouviu os relatórios sobre a vida e ministério de Jesus. Alguns desses relatos vieram de testemunhas oculares. Mas, como o passar do tempo a verdade começou a ser misturado com fábulas, e assim começaram a surgir histórias que não eram verdadeiras. E virou extremamente importante para os cristãos terem um relato confiável de tudo o que tinha acontecido para que eles estivessem confiantes. E é por isso que Lucas escreveu seu evangelho.
Lucas dedicou seu Evangelho no versículo 3 a um homem chamado Teófilo. Nós não sabemos nada sobre este homem. Talvez ele fosse um grego, talvez de Roma, e talvez um homem rico, que patrocinou Lucas para investigar e escrever o evangelho. Mas quem quer que fosse, Lucas queria que Teófilo conhecesse e cresse na verdade. E assim Lucas escreveu no verso 3,4: “. . . igualmente a mim me pareceu bem, depois de acurada investigação de tudo desde sua origem, dar-te por escrito, excelentíssimo Teófilo, uma exposição em ordem, para que tenhas plena certeza das verdades em que foste instruído.”
Lucas investigou as coisas para garantir que o que ele escreveu era completamente exato e também era bem organizado. Isso não quer dizer, é claro, que Mateus, Marcos e João são menos precisos ou menos confiáveis. Todos os quatro evangelhos têm como autor final o Espírito Santo, que é o Espírito da verdade. Mas Lucas quer que leiamos o seu evangelho com a confiança de que o que ele escreveu foi acurado e de confiança.
Mas também Lucas queria de Teófilo e de nós outra coisa. O que Lucas escreveu em seu evangelho é para ser lido no contexto de toda a Bíblia. Lucas escreveu sobre as coisas que, como diz versículo 1, “que entre nós se realizaram”. Precisamos ler o que Lucas escreveu lembrando o que Deus tinha revelado sobre a vinda do Messias no Antigo Testamento. Somos encorajados a comparar o Novo com o Antigo Testamento. E quando fazemos isso, então somos convencidos de que o que Deus tinha previsto há muitos anos antes chegou realmente a acontecer. O Novo Testamento é uma continuação do que Deus havia revelado. Podemos ver isso na forma em que o anjo Gabriel anuncia o nascimento de João Batista.
O último livro do Antigo Testamento foi o livro de Malaquias. E este livro terminou com a profecia que diz que antes da vinda do Messias Deus enviaria Seu mensageiro para preparar o caminho (Mal. 3:1). E os dois últimos versos de Malaquias diz: “Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível Dia do SENHOR; ele converterá o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos a seus pais, para que eu não venha e fira a terra com maldição.”
Esse foi o fim da profecia de Malaquias e o fim da revelação de Deus por 400 anos, até que o anjo Gabriel veio a Zacarias em Lucas, capítulo 1. E em Lucas 1 você pode ver que o anjo Gabriel pegou exatamente onde as coisas tinham ficado no final de Malaquias. Gabriel veio a Zacarias e lhe disse que o filho Isabel daria à luz um filho
“E converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor, seu Deus. E irá adiante do Senhor no espírito e poder de Elias, para converter o coração dos pais aos filhos, converter os desobedientes à prudência dos justos e habilitar para o Senhor um povo preparado.”(Lucas 1:16,17)
Vemos algo extraordinário sobre a Bíblia. Apesar de ter sido escrito por muitas pessoas em mais de 2000 anos, na Palavra de Deus tudo se encaixa! A Palavra de Deus é una. Ela pode ser conferida não apenas em sua precisão histórica, mas também pela requinte interno. E não só isso, o fato de que Deus pôde prever em Sua Palavra que ai acontecer centenas de anos mais tarde, nos ensina que a Sua Palavra é confiável. O Deus que diz o que vai acontecer também controla o que acontece, inclusive no futuro. E isso é algo que não só Teófilo mas também nós temos que entender e crer.